Minicursos/Oficinas 

  01- O patrimônio cultural e suas dinâmicas  

 

  • João Paulo Omena Silva

       Discussão acerca da dinâmica que compreende o patrimônio cultural, com sua vasta ampliação, deslocamentos e novos paradigmas contemporâneos. Conceitos que permeiam o patrimônio cultural, desde sua noção de monumento histórico até a construção da definição de bens culturais. O trajeto do patrimônio no Brasil, com sua ascensão no modernismo, destaque no anteprojeto de Mario de Andrade e na esfera do IPHAN, com o decreto-lei nº 25 e todas suas práticas preservacionistas. Objetivando explanar os conceitos, políticas, práticas e instrumentos de preservação do patrimônio cultural. Fomentar uma discussão e reflexão acerca da dinâmica do patrimônio cultural numa perspectiva local: Quais os bens culturais de Alagoas? Quais as políticas e práticas do patrimônio cultural no Estado? Há valorização? Quais as pesquisas e projetos voltados para o patrimônio cultural?

Palavras-chave: Patrimônio Cultural. Bens Materiais. Bens Imateriais. Referência Cultural.

 


  02- Fontes jornalísticas e ciberespaço na pesquisa histórica  
 

  • Leon Adan Gutierrez de Carvalho 

 
       A proposta deste minicurso é, primeiro, analisar a relação entre história, historiografia e o ciberespaço na produção histórica, evidenciando um (novo?) espaço e novas ferramentas que têm se tornado (e serão) indispensáveis no ofício do historiador. E também propomos analisar, paralela e intrinsecamente, o uso de fontes jornalísticas na pesquisa histórica, enfatizando aspectos teórico-metodológicos indispensáveis no trato destas fontes e realizar um panorama dos acervos digitais na atualidade. 

Palavras-chave: História. Ciberespaço. Fontes jornalísticas.

 

 

 

Minicursos

Oficinas 

  01- HISTÓRIA INDÍGENA: da invisibilidade historiográfica à história indígena  

 

  • Brunemberg da Silva Soares
  • Robson Romildo de Melo Vieira 

       A partir de novas abordagens teórico-metodológicas e conceituais da História e da Antropologia, a oficina propõe-se a analisar criticamente a produção discursiva sobre o índio brasileiro, enquanto reflexo de sua imagem construída através desses anos. Questionando o discurso de invisibilização do índio, consolidado tanto na historiografia quanto no senso comum, a proposta é destacar o papel dos grupos indígenas como sujeitos históricos do processo de desenvolvimento das sociedades coloniais e pós-coloniais, por meio da ideia de alianças e conflitos com não-índios e, sobretudo, do processo de emergência social desses grupos, em especial os índios do Nordeste, com ênfase no povo Xucuru-Kariri de Palmeira dos Índios. As atividades práticas consistirão em exercícios das habilidades de descrição e observação de variadas imagens, literaturas, músicas, vídeos etc., por conseguinte a exposição dos resultados.

Palavras-chave: História. Memória. Índio. Imagem. Nordeste.

 


  02- O TERRITÓRIO IMAGINADO: análise fotográfica do conflito territorial em Palmeira dos Índios-AL 
 

  • Luan Moraes dos Santos 
  • Thayan Correia daSilva 

       Desde sua fundação em meados do século XVIII Palmeira dos Índios é o palco de disputas territoriais iniciadas desde 1773, com a chegada de Frei Domingos de São José nesta região. Esta data marca o baldrame de um aldeamento que se localizava numa documentada gleba de terras conseguidas após negociação com os sesmeiros responsáveis, porém junto com o frei, também vieram os conquistadores com a finalidade estabelecer-se e tirar proveito das terras do aldeamento. Assim, surge Palmeira dos Índios, com um grupo de indígenas esbulhados gradativamente de seus territórios chegando ao ponto atual, onde as forças políticas dominantes são formadas por herdeiros dos conquistadores de outrora que entram num embate não só físico, mas ideológico e imagético. Logo, o objetivo desta oficina é analisar e discutir os elementos imortalizados nas imagens resultantes desses choques; a contribuição científica de nosso intento se dará pela utilização de métodos de estudo fotográfico a partir dos estudos de João Martinho de Mendonça (2000), José Adelson L. Peixoto (2013) e Roberto C. de Oliveira (2000). As atividades práticas consistirão em exercícios das habilidades de descrição e observação de variadas imagens, por conseguinte a exposição dos resultados.. 

Palavras-chave: Imagem. Memória. Conflito. Índio. Território.

 

 

 

  03- “Baila comigo”: a música como instrumento para o ensino de história  

 

  • Adauto Santos da Rocha
  • Cássio Júnio Ferreira da Silva

       A música pode ser considerada um proveitoso instrumento de suporte para o ensino de História. Logo o objetivo desta oficina é analisar algumas letras de músicas para elucidar o pensamento historiográfico e/ou óticas consideradas populares tidas sobre composições. As atividades práticas consistirão na interpretação e exposição de letras de músicas que tratam de temas variados, contribuindo assim, para a produção científica por se utilizar de métodos variados

Palavras-chave: História. Música. Historiografia. Ensino.

 


  04- Metodologias do ensino de História  
 

  • Laríssa Wênia Nicácio da Silva
  • Thiago da Silva Claro 

 
       O objetivo desta oficina é rever a aplicabilidade dos conceitos e métodos que são aplicados na aula de história, desmistificando a imagem de uma disciplina que estuda somente o passado para rememorar dados, personagens, fatos e episódios marcantes e fortalecendo a imagem de uma ciência que faz de cada um de seus alunos agentes históricos e formadores de cultura, capaz de produzir mudanças para a sociedade e o meio onde o mesmo se insere, colocando o professor no papel de agente avaliador que constrói um dialogo e contribui na  formação do conhecimento de seus alunos, estabelecendo assim uma relação de troca, onde o estudante apresenta sua experiência e o professor o auxilia a raciocinar, acima de tudo ensina que é possível estabelecer um senso crítico que permita compreender e interpretar o momento e a sociedade atual, isso significa dizer que a história estuda o processo de mudanças que ocorrem na sociedade, na certeza de que todos são agentes históricos e formadores de opiniões. Mais do que entender o passado, estudar história é analisar os fatos para entender o presente e perceber que a vida não é retilínea. Do ponto de vista teórico, esta ação está ancorada nos pressupostos de Sonia Leite, Ilza Martins Santanna, Maximilliano Menegolla, Ana Lucia Lana Nemi, João Carlos Martins, Maria Auxiliadora Schmidt e Marlene Cainelli. 

Palavras-chave: Alunos.Conceitos. Métodos. Professor. Sociedade.

 

 

 

  03- História do Crime Organizado  

 

  • Roberto Calábria Guimarães da Silva

       O minicurso aborda a história do crime organizado e principais grupos criminosos nacionais e internacionais da idade antiga a contemporânea (Yakuza, máfias: russa, ítalo-américana e colombiana, Comando Vermelho e PCC).

Palavras-chave: Facções. História. Violência. 

 


  04- A Representação política na Constituinte (1986-1988)  
 

  • Luziano Pereira Mendes de Lima 

 
       O presente minicurso abordará o processo de formação do último congresso constituinte brasileiro, as articulações das forças políticas e atuação das mesmas na conformação do texto constitucional. 

Palavras-chave: História. Politica. Constituição.

 

 

 

  05- O ensino da história indígena em Alagoas: perspectivas para novas abordagens  

 

  • Gilberto Geraldo Ferreira

       O ensino da História na educação básica e na academia tem sido instrumento relevante na construção do ideário sobre os povos indígenas em Alagoas. As últimas décadas do século XX ocorreram mudanças significativas na produção acadêmica sobre os povos indígenas no Estado, o que não se verificou na educação básica. A partir da Lei 11.645/2008 tornou-se obrigatório o ensino da história e cultura indígena, o que implica na formação docente, não só nos/as que estão em exercício, mas também os/as estão em formação. O objetivo destas atividades é discutir e refletir sobre o ensino da história indígena em Alagoas, considerando os processos históricos que vivenciaram essas populações e a partir de estudos e pesquisas realizadas nas últimas décadas do século XX e XXI.

Palavras-chave: Educação. Índio. História. 

  05- A Escola Ao Longo Da História  

 

  • Flavia Gonçalves Almeida
  • Larissa Mota de Cerqueira
  • Maria de Jesus Oliveira
  • Naiane do Carmo
  • Rúthila de Almeida Araújo

       Diante da experiência vivida em diversos contextos escolares foi notória a desvalorização da escola publica por parte de estudantes e “funcionários” das escolas. Desse modo surgiu a necessidade de propormos o minicurso, intitulado de; “A escola ao longo da historia” com o intuito de buscar, através da história a valorização que a escola publica merece, destacando em cada período: colônia, império, republica, e contemporaneidade, os processos de evolução e retrocessos da escola pública.

Palavras-chave: Escola. Historia. Desvalorização.